“O QUE E’ A VASECTOMIA”



A vasectomia é um método de anticoncepção masculina que consiste na interrupção cirúrgica dos tubos (canal deferente) responsáveis pelo transporte dos espermatozóides do testículo para a uretra.

É uma pequena cirurgia feita com anestesia local em cima do escroto e que não é necessário internação. É uma cirurgia de esterilização voluntária. Este método impede que os espermatozoides se deslocam ao canal de saída, evitando assim uma gravidez.

QUAL ÉO OBJETIVOS?

O Objetivo é tornar o homem infértil de modo permanente. (nunca mais ter filhos).

Apesar de ser um procedimento simples, a cirurgia é, a princípio, definitiva. Por isso a decisão de realizar algo tão importante deve ser feita de forma bastante ponderada. O candidato ideal à vasectomia é o indivíduo que está decidido a nunca mais ter filhos.

QUAIS SÃO OS BENEFÍCIOS?

A vasectomia não está associada a riscos de disfunção sexual.

A cirurgia de vasectomia também não altera a produção do hormônio masculino, a testosterona, nem altera a ereção e a mimenorescção. Por isso, não há qualquer alteração na libido (desejo sexual), na rigidez do pênis durante o ato sexual ou na forma como o indivíduo urina.

SEGURANÇA

As taxas de falha da vasectomia são que 1%, mas a eficiência da operação e os índices de complicações variam com o nível de experiência do cirurgião que faz a operação e a técnica cirúrgica utilizada.

RISCOS

Não há procedimentos médicos e/ou cirúrgicos sem riscos, contudo as complicações após uma vasectomia são raras.
Nos primeiros dias de pós-operatório pode ocorrer dor, edema e equimose locais.
Alguma “tensão e sensibilidade” testicular também é comum e pode persistir algum tempo, recomendando-se evitar ejaculações nos primeiros 7/10 dias e aplicação de gelo.
O hematoma escrotal com aumento significativo do volume e a infecção com necessidade de reavaliação médica podem ocorrer muito raramente.
Existe risco de dor escrotal prolongada com afetação da qualidade de vida (muito raro) por epididimite congestiva ou granuloma espermático.

As contraindicações relativas são a idade jovem do homem, ausência de filhos, ausência de relacionamento afetivo atual e/ou estável e dor escrotal.

E SE EU ME ARREPENDER, POSSO REVERTER A SITUAÇÃO?

Ao contrário da realização da vasectomia, a reversão é um procedimento bem mais complexo.
Não é feita por todos os urologistas, requer um tempo de repouso maior e acarreta um custo financeiro mais elevado. Além disso, nem sempre a cirurgia é um sucesso e parte dos homens que se submete à reversão não conseguirá ter filhos naturalmente. A probabilidade de reversão é de 15% de eficiência.

A primeira reversão de vasectomia foi realizada em 1902. De lá pra cá, a melhora das técnicas cirúrgicas e o aparecimento de lupas e microscópios cirúrgicos vêm melhorando os índices de sucesso do procedimento.

Por Tiago Soares.